Ou aquela vez em que fomos passar um final de semana sem as gatas e Pietro disse “Amor, tem um gato aqui”.

Meu nobre cônjuge e eu nunca tivemos a intenção de sermos essas caricaturas de Pais de Pet™, simplesmente aconteceu. Tentamos evitar? Tentamos evitar (de leve). Mas você precisa escolher as suas batalhas e aceitamos que essa não era a nossa. Em agosto de ano passado, as meninas ficaram com o babá (teve uma explicação racional & independente pra um amigo nosso passar o fim de semana no apartamento, mas eu não convenceria vocês) e nós fomos passar 48hrs sozinhos em um airbnb em MG (sem falar de gato, sem dormir com gato, sem perder horas assistindo gatos serem gatos).E nós acendemos a lareira. E comemos coisas gostosas. E conversamos. E sentamos no sol no único clima possível (o inverno). No fim fim da noite, determinados a usufruir de tudo o que o país Minas Gerais tem a oferecer (já estávamos com as barrigas cheias de queijos e doces), faltava o que? Isso mesmo, olhar pro céu e comentar que “nossa, porque em São Paulo a poluição…”.

Então, meu nobre cônjuge abre a porta pra sacada, fala “amor, tem um gato aqui” e fecha a porta. Paralisado.

E tinha um gato ali. No frio de 3 graus do inverno da Grande Minas Gerais, tinha um gato ali. Uma gata. Uma gata recheada de gatinhos. Faminta.

MiniBEDA

Gato laranja

Nas 24 horas que se seguiram, Quitéria usou um de nossos cobertores, comeu ¼ do nosso queijo, tomou sol no nosso colo, ficou fascinada pelo Pietro. E, é claro, acompanhou toda a conversa sobre seu destino. Sobre furtar uma gata. Sobre furtar uma gata recheada de gatinhos (o que com certeza a lei encara como algum tipo de agravante) (mas nos três graus do inverto mineiro configuraria furto da nossa parte ou abandono da parte do dono?). Sobre levar uma gata recheada de gatinhos & não testada pra casa. Sobre a adaptação de uma gata recheada de gatinhos e duas gatas adolescentes. Sobre encarar tudo isso em um domingo a noite. Sobre a possibilidade de gata feat. gatinhos com fiv/felv e o que fazer com eles. Sobre a possibilidade de gata e gatinhos saudáveis e eles ficando em casa pra sempre. Um total de zero respostas.

O carro já estava carregado quando Quitéria decidiu pra gente. Deu as costas e foi pra casa do caseiro.