Blog!, Pessoal

Se não leu o post, não comenta: Ou aquele sobre blogueiros caça click – BEDA #14

14 de agosto de 2017

Lá em dois mil e conexão discada, quando a gente ainda carpia esse mundão velho sem porteira da Internet, existiam algumas piadinhas sobre blogs (de cuja as quais não nos orgulhamos). Uma delas era o ” tipos de blogueiros”: o blogueiro Gugu (que só aparecia aos domingos – naquela época, quem poderia condenar?), o blogueiro político (que só te visitava para pedir votos em concursos – um dos grandes males daqueles tempos), o blogueiro Xuxa (que só comentava mandando beijinho) e o pior tipo de blogueiro do período: o blogueiro pai nosso – venha vós ao nosso reino, mas ao vosso reino nada.

Eu tinha um profundo desprezo pelos blogueiros Pai Nosso, achava muita falta de educação! Éramos uma comunidade pequena, não custava nada passar pra dar um oi e tomar um café, afinal estávamos construindo a blogosfera juntos (dsclp, sempre fui muito emotiva e piegas).

Hoje em dia, com tantos blogs e tantos assuntos, mudei de lado: acho um costume horroroso (pra não dizer desprezível) passar no blog de alguém só para receber uma visita de volta. A gente sempre sabe quando o comentário é sincero e quando foi só pra constar. E a gente, sempre, SEMPRE, sabe quem leu e quem não leu o post.

Assumo que quando comento muito no blog de uma pessoa e ela não volta nenhuma vezinha, paro de dar aquela interagida, mas é porque não vejo um sentimento de troca (não troca de número, STOP TROCA DE NÚMEROS 2017), mas porque fico achando que falta um entrosamento, uma amizade, uma conversa. Me sinto um pouco rejeitada. É a falta de sentimento e não a falta de acessos que me incomoda (já avisei que sou emotiva).

Na internet discada do weblogger, essas pessoas que só interagiam para receber comentários de volta usavam a frase “Que lindo o seu bloguinho, visita o meu também!” e nós nunca gostamos desses seres, mas temos que concordar que eles ao menos eram mais sinceros.

Hoje as pessoas fingem que leram e comentam algo genérico, algo que poderia ser dito em uma conversa de elevador (“nossa, lindo mesmo esse lugar que você foi!”) ou pra responder aquela tia que fala horrores no almoço de domingo, em quem você nunca presta muita atenção, mas sua avó obriga a interagir (Nossa, ameeeeei! Que fotos lindas!): Algo só pra constar.

A Bela e a Fera - GastãoO Gastão também entraria em um blog e só veria as fotos.

Quem faz esse tipo de comentário, está fazendo o blogueiro de idiota (achando que ele não vai perceber que a pessoa só leu o título). Está desmerecendo as horas de trabalho que a pessoa colocou ali. Está invadindo um espaço alheio para se auto-promover. Está usando alguém. Eu acho bem grotesco.

O blogueiro caça-número é uma coisa que me intriga bastante. Se ele vem com essas visitas e esses comentários vazios, ele aprova esse sistema e espera de volta a mesma retribuição sem valor e sem conteúdo. Qual o sentido disso? Qual o ponto de ter muitos números acessando o seu blog se ninguém realmente lê, se identifica e conversa (genuinamente) sobre as suas idéias e experiências? Como pensam os blogueiros caça-cliques? O que consomem? Com quem interagem? Até hoje não passou no Globo Repórter.

As vezes a gente acha uma pessoa legal e quer incentiva-la de alguma forma, já aconteceu com todo mundo. Só que comentar só por educação nunca (NUNCA!) é algo positivo e, no fim das contas, acaba sendo a coisa mais mal educada que você pode fazer. Se você gostou do conteúdo ou gosta da pessoa e quer fazer algo por ela (no geral ou em relação aquele post específico), existem várias formas de ajudar: divulgar o post, tuitar, interagir nas redes sociais, mandar um email, recomendar aquele post quando você falar sobre o mesmo assunto.

A Bela e a FeraA Bela leria o post inteiro e iria achar tudo lindo. <3

O legal dessa comunidade blogueira é que somos todos livres, ninguém precisa fazer nada pra seguir protocolos, ninguém é obrigado a nada. Seja sempre sincero. A porta está sempre aberta e os espaços são todos livres, mas por favor, tenha a educação de não tirar os móveis de lugar.

You Might Also Like

18 Comments

  • Reply Isa 14 de agosto de 2017 at 10:02

    muito boa sua consideração adorei o blog passa lá no meu beijos!

    Isa <3
    * http://eagoraisadora.com *

  • Reply Douglas 14 de agosto de 2017 at 10:36

    Finalmente alguém que colocou a boca no trombone?
    Eu tenho pensado muito nisso nos últimos anos e cheguei a conclusão que prefiro meus posts sem comentários do que com comentários cheios de baixas intenções.

    O que aconteceu com a nossa blogsfera? Não é possível que a maioria tenha se rendido aos hábitos ruins, me recuso a aceitar.

    Beijos, Nicas!

  • Reply Wanila goularte 14 de agosto de 2017 at 11:08

    Ai meu deus, acabei de perceber que eu posso ter passado essa imagem de blogueira que comenta coisas bobas?!?!? hahaha Normalmente no fim de semana eu tiro uma tarde pra ler os blogs que sigo e vou “respondendo mentalmente” enquanto leio, de forma que quando vou comentar, sempre falo algo bem pequeno. Agora tô me sentindo culpada! hahaha Mas ó, concordo 100% com você em tudo! Tenho blogado pouco hoje em dia, mas ainda assim sempre tem um ou outro que aparece perguntando algo que você já falou no texto ou falando só “fotos lindas, bjs”. E também concordo demais que dá uma raivinha quando você visita o blog de alguém sempre e essa pessoa nunca aparece no seu cantinho, também fico super desanimada!

  • Reply Larissa 14 de agosto de 2017 at 12:02

    Houve uma época em que eu ficava meio triste quando escrevia um texto e não recebia um comentário sequer, apesar de saber que tinham visitado minha página. De lá para cá, não sei o que aconteceu no meio do caminho, mas agora escrevo quando estou a fim e sem esperar nada em troca. E quando entro no blog de alguém, prefiro ser honesta e não comentar nada se não li o texto inteiro.

    * na internet discada eu só publicava aos finais de semana também! e como detestava aqueles blogs cheios de gifs e coisinhas brilhando quando a gente rolava a página!!

  • Reply Jeyse Cristina 14 de agosto de 2017 at 12:11

    Às vezes eu faço um comentário breve, mas não é por falta de interesse ou pra fingir que li o texto :(
    Mas é diferente, né hahaha :)
    Eu não tenho o formulário no meu blog por motivos de: 1) gosto de compartilhar coisas lá, só por compartilhar mesmo, e às vezes tem gente que envia uns comentários estúpidos; 2) o atual layout não permite hahaha
    Também não gosto desses comentários do tipo “dá uma passadinha no meu”, mas confesso que foi assim que descobri alguns blogs, antes de fazer parte de grupos. Mas, hoje em dia, é bem desagradável.

    Tem tanto blog legal que eu visito, que às vezes nem comento, por, sei lá, pra evitar pensamentos assim. Prefiro mandar uma mensagem, um email, ou uma reply no twitter :)

    Hoje em dia, parece que as pessoas fazem de tudo para ganhar visitas, likes, comentários e coisas do tipo no blog, visando sempre o número de acessos para ter $$$ em troca. Tudo bem se elas sobrevivem disso, mas, acho que o que falta na gente é isso, interação, amizade, e conversas, só por amizade, sem ganância.

    Acho que a gente tem que tentar, cada vez mais, se enturmar, e valorizar a leitura, a escrita do outro, e a dedicação, mesmo que haja só um post por mês, ou quem sabe trinta e um.

    Um beijo! ♥

  • Reply Cacá 14 de agosto de 2017 at 12:25

    AI QUE LEGAL TAMBÉM ADORO O FILME A BELA E A FERA!
    Beijinhos
    .
    .
    .
    .
    .
    HIHIHIHIHI
    O pior do comentário genérico é que às vezes tu dá uma colher de chá e diz AI QUER SABER VOU FAZER UMA VISITINHA LÁ e o blog é o que? Genérico. ZzZzZz
    Nossa, eu sempre sei qdo a pessoa não leu. E eu também sei quando a pessoa leu só o início do post desistiu do resto e comentou mesmo assim – ela sabe um pouco mas não sabe muito sobre o assunto e comenta algo meio nada a ver mas a ver, sei lá explicar.

  • Reply Silvia 14 de agosto de 2017 at 13:00

    Post tapa-na-cara pra mim. Sigo alguns blogs e nunca comento… compartilho e tals, mas as vezes comentava por educação. Obrigada pela sinceridade e palavras, vou tentar interagir mais :)

  • Reply Aline Amorim 14 de agosto de 2017 at 15:23

    Gostei do post! Beijos, tchau!

    Não… o comentário não para por aí não.
    Realmente nós blogueiros “das antigas” já passamos por muitas fazes de comentários. E sabemos mesmo identificar quando alguém leu ou não o que escrevemos.
    Nem sempre eu leio o post inteiro, e quando não sei o que comentar, só não comento. Acho que é melhor e mais educado assim né!

    Beijos

  • Reply maki 14 de agosto de 2017 at 18:38

    eu sempre achei muito bizarra essa mania de soltar ‘que lindo’ num post gigantesco sobre mil coisas. do tipo, desmerece mesmo o trabalho que a pessoa teve de selecionar as fotos, tratar, escrever o texto, revisar, divulgar… acho que esse mundão de internet meio que colocou na cabeça das pessoas que é muito fácil (ahem mentira ahem) criar conteúdo pra web. e dá um trabalhão. prefiro mil vezes não ter nenhum comentário Pai Nosso do que milhares de comentários desse tipo. é tão legal quando a gente se ajuda, sabe? se compartilha, se retuita, se apoia… não porque a gente achar que precisa dessa mendigagem que é muito a cara de Instagram (alô, galera do #sdv, é com vocês que eu tô falando)

  • Reply Luana Vilha 14 de agosto de 2017 at 20:25

    Não estou a tanto tempo na blogosfera quanto vc, mas já saquei um pouco as táticas das pessoas do like for like, segue de volta e tantas outras variações, concordo plenamente a parte que vc disse que se não sente o interesse recíproco (sincero) da outra pessoa dá uma desestimulada, também sou ~emotiva~ a esse ponto e me sinto como se eu estivesse chamando a pessoa para sermos amigas e a pessoa apenas ignorasse a minha existência (eu deveria pensar assim?). Agora sobre as piadas, confesso que eu ri sobre as nomenclaturas e pra entrar nessa brincadeira oldschool (posso?) Eu gostaria de dedicar esse comentário para minha mãe, pro meu pai e especialmente pra vc *SOM DE BEIJO* Não poderia deixar de fazer essa piada hahaha

  • Reply Simone 14 de agosto de 2017 at 21:20

    Quantidade ou qualidade? Qual a melhor opção. Eu sempre prefiro ter poucos, mas sinceros leitores, que sejam de fato leitores, interajam, curtam mesmo minhas postagens.
    Gostei de verdade da sua postagem 😉 Li tudo!
    Beijos!

  • Reply Gabi 15 de agosto de 2017 at 02:23

    Oi Nicas
    Eu comecei com os blogs nessa época tbm, mais de 10 anos atrás, mas eu acho que dei um pouco mais de sorte porque me encontrei numa ~~rodinha~~ de blogueiros que verdadeiros, liam e comentavam verdadeiramente. A gente sempre arranja alguns amigos na blogosfera, né?
    Eu tenho percebido essas pessoas do “amei seu blog, bj” mais nos últimos anos, mas de novo dei sorte de não me cercar muito delas. Acho que porque simplesmente nunca dei muita moral pra gente assim, eu não retribuo esse tipo de comentário.
    Mesmo com alguns defeitinhos, a blogosfera é um lugar que eu amo ♥, então faço uns esforcinho pra passar por cima dessas coisas toscas. Tem muita gente incrível por aqui, né não?
    bj bj

  • Reply Carolina 15 de agosto de 2017 at 10:28

    Só passando pra dizer que eu AMEEEIIII os gifs da Bela e do Gaston. 😛

    Brincadeirinhas à parte, se eu bem entendo o que você quer dizer com o blogueiro Pai Nosso, confesso que fui leitora Pai Nosso por muitos anos e, em alguns aspectos, ainda o sou. Sempre achei bem inútil comentar com algo do tipo “é isso aí” ou “Só passando pra dizer que eu AMEEEIIII os gifs” (lá em 2000 e internet discada eu estava ocupada demais escrevendo e lendo fanfics de Harry Potter, não tinha ~tempo~ para blogs).
    E, na real, custei muito a entender a função da caixa de comentários. Levei muito tempo para entender que o bacana do blog é que é uma via de duas mãos. Para mim, era algo como “eu, blogueiro(a), escrevo, você, leitor(a) lê e seguimos a vida felizes. Perceber a possibilidade de conexão e conversa nesse espaço tão mágico (que estou usando aqui oO) levou um tempo. E obrigada Papo de Homem, por me ajudar nesse entendimento. Já viu as discussões que rolam nos comentários deles? Muitas vezes chegam a ser mais maravilhosas que o post.
    Agora que estou (pela milésima vez) também blogueira, finalmente com a sensação de consegui meu espaço com minha cara nesse mundo chamado internet, começo a perceber a importância dessa troca. Como é bacana pensar que você iniciou uma conversa e isso acabou reverberando em outras pessoas e gerando uma discussão saudável! Ou mesmo perceber o quanto um comentário dedicado pode ser um carinho em uma pessoa, um serumaninho do outro lado do computador, que muitas vezes só o que precisa é desse “oi… tô te lendo com atenção e cuidado e te gosto, viu”.

    E não tem como concordar mais com a parte de “existem várias formas de ajudar”. Até porque vim parar aqui fuçando as recomendações da Isadora. E coisa que eu mais gosto ao ler posts por aí é perceber que quem escreve não está simplesmente falando. A gente muito fala e pouco ouve hoje. É lindo perceber a reverberação de um post de uma pessoa em posts de outras pessoas. E coisa mais maravilhosa é conhecer blogs por recomendações de outros blogs.

    Enfim… pensamentos talvez um pouco disconexos e confusos, mas espero que compreensíveis.

    E seguimos lendo e recomendando e conversando blogs afora.

    😉

  • Reply Ana Paula Camina 15 de agosto de 2017 at 17:14

    Nicas, não poderia concordar mais!!!!

    Eu comecei a escrever em blogs uns 9 anos atrás, nem foi na época que era tudo mato, eu já tinha internet em casa, mesmo que com dificuldade e sem tanta liberdade como hoje. rs Sempre gostei de ler blogs, acompanhei as mudanças dos blogs pessoais em meios de comunicação gigantes com milhares de seguidores.

    Muitas vezes eu leio posts e deixo comentários, mas sempre tive pra mim que eu comentaria se eu tivesse algo pra falar sobre aquilo e não por obrigação. Acho que o relacionamento entre pessoas que curtem blogs deveria ser como você disse, uma troca, uma amizade virtual que aquece o coração. Pena ter tão pouco tempo pra isso, pois é algo que eu gosto de verdade.
    Comentar só por comentar é muito triste, não faço e detesto se fazem isso com algum post meu. Mesma coisa é receber aquela mensagem que alguém seguiu o blog e aquela pessoa nunca deixa um “Oi, li isso aqui”, parece que é só pra ser visto e seguido de volta. SDV! Comenta de volta!!

    Enfim… acho que essas relações estranhas nos blogs é um reflexo de como está tudo meio estranho no geral nos relacionamentos digitais, todo mundo quer dar palestra e não interagir.

    Beijos!! Ana.

  • Reply Pink Yuri 16 de agosto de 2017 at 11:40

    Eu AMEI esse post.
    Quando eu recebo comentários genéricos eu respondo e tudo, mas não visito o blog. Acho que a pessoa não merece, sacas? Pra que eu vou perder meu tempo lendo um post de alguém que não deu ao trabalho de ler o meu?
    Infelizmente existem pessoas que estão aí só pelos números… Vejo isso diariamente em grupos de divulgação, as pessoas só se divulgam e saem fora, será que elas não percebem que se todo mundo fizer isso não vai adiantar em nada? Eu sempre entro em grupos para abrir os blogs porque eu amo conhecer novas pessoas, novos blogs, mas é normal eu encontrar blogs bem mal feitos, sem carinho, com posts de 03 linhas, isso tudo porque elas só querem números. O que aconteceu com a qualidade? O amor pelo que faz?

    Ainda bem que temos blogueiros maravilhosos ainda, que postam por amor, porque gostam, porque querem. Espero que um dia esses blogueiros sejam a maioria.

    Um super beijo, Pink do blog http://www.pinkisnotrose.com

  • Reply Amanda 16 de agosto de 2017 at 14:18

    Pior tipo de gente, miga. Tenho vontade de esganar os que ainda fazem assim, principalmente nos tempos atuais em que nem quem gosta da gente se sente obrigado a comentar. Sou ghost reader de vários blogs lindos e só comento quando tô afim e não é melhor assim? Tudo o que é fingido tende a ser 1 bosta e se for pra comentar errado é melhor nem comentar.

    1 beijo pra senhora <3

  • Reply Juh Claro 17 de agosto de 2017 at 13:39

    Eu li o post inteiro, mas fiquei na dúvida se poderia comentar ou não, se serei taxada de algum tipo de blogueira ou não e fiquei com medo, mas cá estou porque não consigo ler, concordar e fechar o blog sem falar nada, he.
    Continuando a sinceridade do post, eu sou dessas que não comenta em tudo e pra todos, mas normalmente quando eu gosto de um post, eu dou uma fuçada nos anteriores/próximos e acabo me entregando e tendo que comentar sobre algum deles. Na minha cabeça é uma forma de mostrar que “oi, gostei do seu blog, continue postando coisas do tipo que vou continuar voltando aqui pra acompanhar”. São esses blogs que entram pros meus favoritos e eu acabando voltando neles quase diariamente – mas confesso, de novo, que não comento todos os dias em todos os posts não… A culpa é da falta de tempo, talvez; não sei.
    Como “blogueira” há anos (prefiro o termo – dona de blog, na verdade), sei muito bem como é tudo isso que você falou e espero que você também concorde com o que coloquei aqui. Se eu ligasse para números – como maior parte da new bloggersphere parece ligar – eu já tinha fechado o blog há anos. Mas sei que quando alguém gosta do post, comentando ou não, volta ali no dia seguinte pra ver a novidade – e é por isso que eu continuo aqui. Sem caçar novos visitantes, sem implorar por visita de volta, mas tentando interagir com quem teoricamente se aproxima do mesmo POV do meu.

    Pra variar falei demais, mas precisa falar que concordo 100% mesmo tendo que comentar com o link do meu blog pra isso hahaha
    PS: seu calendário do BEDA me salvou na organização e desde o início do mês passo aqui pra ler sobre você 😀 espero não ter soado tão stalker.

    Beijos!

  • Reply 30 antes dos 30 - Fazer um BEDA - e agora, Isadora? 31 de agosto de 2017 at 20:03

    […] é 100% legal -, mas com a intenção de motivar os amigos. Como? Comentando nos posts. Aliás, lendo e comentando os posts, divulgando os blogs amigos, fazendo aquele bom, sempre bom, e velho social. Afinal de contas, isso […]

  • Leave a Reply