Lifestyle

Whole 30 – o que, quando, como e porque

11 de janeiro de 2017

Esse perfil não conta calorias e esse perfil sonha em conquistar o título de maior somelier de Kit Kats da galáxia. Isso aqui não é blog fitness e JAMAIS condena o consumo de qualquer porcaria alimentícia (inclusive, me chamem!). O Whole 30 foi uma coisa que eu fiz em janeiro do ano passado, porque estava com sérios problemas de disposição e ansiedade, e que me ajudou (muito!). Estou fazendo novamente e vou dividir as histórias, caso isso ajude outras pessoas.

O que é o Whole 30?

O jeito fácil de você resumir o Whole30 pra justificar o seu prato diferente na mesa do almoço de domingo é: uma espécie de dieta em que você fica 30 dias sem comer nada industrializado. Se vende dentro de saquinho, latinha, caixinha: provavelmente, não pode.

Whole 30

Whole 30

Whole 30

O jeito certo seria dizer que é um plano alimentar, detalhadamente descrito no livro “It Starts With Food” (e no 30 Dias Para Mudar), que se baseia na idéia de: existem alimentos que te fazem bem (te deixam mais saudável) e alimentos que te fazem mal (te deixam menos saudável). Não existem alimentos neutros. Não existe meio termo. Dentro do critério de te fazer bem, também é preciso ter uma justificativa nutricional para o consumo.

Parece complicado, mas não é.

E ninguém espera (ou aconselha!) que você consuma apenas esses alimentos para o resto da vida.

O Livro

O It Starts with Food é muito didático e se divide em capítulos mais teóricos e uma parte mais prática. As passagens que descrevem como cada componente alimentar atua no corpo conseguem não ser cansativas e fluem muito bem, mesmo em inglês. Mas se esse não for o foco do seu interesse, os próprios autores permitem que você pule esses capítulos (sem prejudicar o restante da leitura).

Assim como outros livros do gênero, ele tem sim os pequenos depoimentos e promessas de mudanças de vida maravilhosas, mas fica bem dentro do suportável, não chega a irritar. Meu único problema com esses relatos é quando apontam um controle total da diabetes apenas com a alimentação (diabetes é uma coisa séria e precisa de acompanhamento médico!).

Não vi o 30 Dias para Mudar de perto ainda, mas ele parece ser a versão ilustrada e mais direta do outro.

Os Critérios

Cada tipo de alimento é analisado com base em quatro critérios, não pode: ser psicologicamente não saudável, inflamatório, de difícil digestão ou capaz de causar mudanças hormonais.

O que pode e o que não pode

Não  ‘pode’:

  • Açúcar processado e adoçante
  • Álcool
  • Grãos e leguminosas (especialmente soja e derivados)
  • Derivados do leite

Pode:

Existe uma lista detalhada aqui, mas pra facilitar a minha vida, limitei tudo para: carnes, ovos, legumes, chás e frutas (em menor quantidade). Outro truque pra tornas as coisas mais fáceis é ler o rótulo e não consumir se tiver algum elemento que você não usaria pra brincar de forca (ex: conservador ácido sórbico, sequestrante EDTA cálcio dissódico).

Whole 30

E depois dos 30 dias?

Passados esses 30 dias de alimentos ~~~~permitidos~~~, você pode reintroduzir os outros gradativamente e ver como seu organismo reage a cada um deles. Essa é também uma forma de identificar se aquele problema de saúde que nunca vai embora não é efeito da alimentação. Ninguém propõe que você faça isso pra sempre, mas que com a experiência desse período, possa fazer escolhas mais adequadas PRA VOCÊ.

(ninguém falou em fitness, ninguém falou em geração saúde, ninguém falou em queijo branco no pão integral – eles, inclusive, estão fora do Whole30 – mas sim em comer o que faz você se _sentir_ bem. SENTIR é a chave de tudo aqui)

Como foi pra mim

Eu tenho problemas graves com ansiedade e alimentação desde os 11 anos. Fui ensinada em casa que o CERTO era usar calça 36 e roupa P. Eu ganhava calças 36 (38 estourando) e deitava na cama pra fechar porque esse era o CERTO. Tomei remédios para emagrecer ao 13 anos (um que hoje é proibido por causar taquicardia). A hora de comer era um sofrimento porque era uma coisa errada. Então, minha relação com comida sempre foi péssima. Desde então, em qualquer situação de stress eu: como.

O fato de estar de dieta me causa um incômodo sem fim, porque o stress de saber que não posso comer, me faz comer mais. Com doces a situação costuma ser pior (o que o livro chama de ~craving~).

As primeiras semanas de Whole 30 não foram fáceis (foi exatamente como a Melissa Hartwig disse que seria). Mas depois do décimo quarto dia, parece que deu um estalo mágico e: eu me sentia bem. Minha vontade de doce caiu pra zero, minha concentração nunca esteve tão boa, eu dormia menos horas e ainda assim acordava super disposta, saia com amigos para um bar, não sentia vontade nenhuma de beber (!!!) e virava a noite (quando meu normal é desmaiar de sono e rabugentisse as 22hrs em ponto). Eu tinha energia e bom humor (e meu cabelo e pele estavam ótimos!).

Sobre a perda de peso (a pergunta que não quer calar)

Perdi 7kg (e desinchei horrores).

Mesmo depois de reintroduzir outros alimentos, ainda me senti bem disposta e não engordei (perdi mais 3kg na verdade). Voltei a engordar em junho (terminei o Whole30 no Carnaval), porque foi uma fase de esperar muitas respostas de muitas pessoas sobre coisas muito importantes e eu estava ansiosíssima.

Quando ganhei peso, os Fiscais de Dieta™ não demoraram nada para dizer que ~tá vendo, nada radical funciona~, mas eu não vejo a coisa desse jeito. Nunca pensei que um programa de 30 dias fosse resolver todos os meus problemas de quase duas décadas, mas foi, de longe, uma das coisas que mais me deu resultado, principalmente porque não foi uma coisa só de perder peso, mas de me SENTIR EM PAZ.

Vou refazer o Whole 30 e a idéia é colocar posts semanais aqui, caso isso possa ajudar, motivar ou informar alguém. 😉

Whole 30

Whole 30

Whole 30

Whole 30

Outras fontes

A Mari fotografou todos os pratos do projeto que ela fez com o namorado e é tudo abusado de lindo (é cada louça, é cada prato, é cada arrumação!), vale muito a visita. Eu já tinha ouvido falar várias vezes do Whole 30 (inclusive no ABM), mas o empurrão dela foi definitivo pra começar.

E aí, vamos?

As fotos do post são de uma saída fotográfica no Mercadão de Pinheiros.

You Might Also Like

23 Comments

  • Reply AGATHA CHRISTINE 11 de janeiro de 2017 at 11:03

    Genteee quanta polêmica nesse post! hahahha não conhecia nada relacionado a isso, mas sempre soube que nada ensacado faz bem kkkkkk já dizia minha avó! Alimentação é mesmo uma coisa de ‘sentir’, uma das minhas resoluções pra esse ano foi me alimentar melhor (afinal de contas o tempo passa pra todos, e uma hora ou outra a gente tem que começar a dar valor ao que comemos) Curti muito o relato da sua experiência !! Fiquei curiosa principalmente com a parte de não comer grãos (?) Kkkk , ia gostar de ler mais posts a respeito 😀 Um beijoo

  • Reply Claudia Hi 11 de janeiro de 2017 at 11:48

    Gostei da proposta dessa dieta. Acho que daria pra fazer aos poucos, tipo ir cortando (diminuindo drasticamente) item por item da alimentação. Vou tentar fazer algo parecido. Mas acho que o meu maior problema é pão. Gente como eu gosto de pão, se pudesse comia todos os dias em todas as refeições! haha Por isso que eu sou magrela e tenho um barrigão!

  • Reply Samira Oliveira 11 de janeiro de 2017 at 13:51

    Menina, coloca certinho o que você comeu em cada dia, por favor. Eu fiquei bem interessada e ri horrores com seu jeitinho de falar (também gosto de porcarias me chama também heheh) e (kkk eu não usaria esses ingredientes pra birncar de forca rsrsrs) Enfim, eu também sempre fui ensinada a ter um bom peso mas sempre fui gordinha, na escola sofri horrores e adora adulta mesmo tendo emagrecido não visto 36 nem ferrando (que sempre foi o sonho) e bom, desisti de regimes e de dietas mas acho que esse cardápio seria bem interessante para eu seguir, vou esperar os outros posts ein?
    beijão!

  • Reply Aline Amorim 11 de janeiro de 2017 at 14:09

    Nunca tinha ouvido falar desse whole 30.
    Tento comer menos coisas industrializadas, mas pela saúde mesmo, não para emagrecer. E não é fácil né!
    Vou pesquisar mais sobre o assunto e mostrar para meu marido para fazermos juntos. Acho que será ótimo ter posts semanais sobre sua alimentação.
    beijos

  • Reply Anne 11 de janeiro de 2017 at 14:35

    Vou ser a chata dos comentários mas: não entendo como ~pode~ carne (um negócio cheio de toxinas e antibióticos) e ~não pode~ grãos e leguminosas (tem fibras, proteína magra e mais um monte de coisas).
    Mas enfim, se o efeito foi positivo, ok!
    Quando vi as fotos do post, até pensei que seria sobre dieta crudívora! Estão lindas e deu a maior vontade de correr pra quitanda e encher a geladeira desses vegetais super coloridos e maravilhosos.
    E menina, Fiscais de Dieta tem em tudo quanto é lugar, o importante é você se sentir bem e nem dê bola porque alguém sempre vai ter uma crítica na ponta da língua pronta pra lançar sobre o corpo alheio!
    Beijo

  • Reply Nary 11 de janeiro de 2017 at 17:15

    Faz um tempão que eu enrolo pra começar o whole 30 e agora lendo aqui seu post fiquei querendo novamente. Mas assim, não pode queijo? Nenhum? Meldels, não pode leite?
    Amo queijo e leite, fico ansiosa demais querendo.
    E os lanches, você fazia o que? Porque eu tenho problemas com lanches, nunca sei o que comer.

    E café, pode não né?
    Muitas perguntas hahahaha
    Vou ficar aqui acompanhando seus posts, vai que me animo e começo de vdd!

  • Reply Camila Faria 11 de janeiro de 2017 at 19:27

    Oi Nicas, achei interessante DEMAIS esse plano alimentar. Eu sempre tentei ao máximo evitar comidas industrializadas ~ e cada vez mais tenho conseguido. Ajuda muito se é você mesmo que faz a sua própria comida, você acaba entendendo melhor o que funciona (e o que não funciona) pra você. Boa sorte no seu segundo Whole 30!

  • Reply Vy 11 de janeiro de 2017 at 19:42

    Sou super a favor de comer de uma forma mais saúdavel e limpa e sempre que converso com alguém sobre alimentação, falo que o nosso mal é a industrialização e o processamento da comida. Mas o nosso estilo de vida também não ajuda, eu morro de preguiça de passar tanto tempo cuidando da minha comida depois que passei o dia aturando problemas dos outros. Mas eu tenho o poder da escolha, e tenho noção desse privilégio. A gente não aprende a cuidar da alimentação em nenhum lugar, o que é triste e é o que faz a gente sofrer tanto com a comida, com a alimentação. Mas na época do tratamento com o dr bonitinho comia bem melhor e senti isso de desinchar. Não perid tanto peso, mas medida, nossa, era muito sensivel! Vou acompanhar seu projeto, quem sabe não me reanimo a voltar a comer melhor, né?

  • Reply Ana Camina 11 de janeiro de 2017 at 20:27

    Que interessante, não tinha ouvido falar desse projeto e desse livro, vou dar uma procurada.
    Me identifico com a maior parte do que você disse (menos a questão de tomar remédio), a minha relação com a comida não é nada saudável e eu como pra me premiar ou me acalmar em momentos de tensão e tristeza. É um absurdo, tipo um cachorro treinado, né?

    Uma das minhas metas esse ano é comer muito mais coisas que eu compre na feira e menos que eu compre no mercado.

    Vou procurar essas fotos e os alimentos da lista pra me inspirarem. 😀 O importante é corpo e mente saudáveis.

  • Reply Mareska 12 de janeiro de 2017 at 02:00

    ACHEI A IDEIA BONITA! Meu sonho conseguir fazer alguma coisa nesse estilo, até porque deve dar uma desintoxicada maravilhosa e de repente até serve de incentivo pra manter alguns hábitos mais saudáveis depois. No meu caso isso acaba ficando só no sonho porque a minha alimentação é cagadíssima: eu não como frutas (só suco muito raramente), verduras e legumes. Tomate só se for molho sem pedaço, nem lembro a última vez que botei uma salada na boca. Acho que quando cheguei naquela parte da infância em que a gente aprende a falar “não” pras coisas e decide que vai só viver de batata-frita, minha mãe acabou não insistindo, eu continuei não querendo, aí danou-se. Algumas vezes já tentei reintroduzir essas coisas, mas só de sentir a textura na boca meu estômago trava e eu fico com ânsia e não consigo nem engolir. Um dia ainda acabo apelando pra hipnose ou um exorcismo.

  • Reply Mônica 12 de janeiro de 2017 at 12:58

    Olá!
    Também fiz em janeiro do ano passado e tive ótimos resultados também. O problema foi na reintrodução após os 30 dias, acho que me perdi e por isso não consegui saber exatamente o que faz bem e o que faz mal ao meu corpo. Perdi quase 4 quilos e no decorrer do ano engordei mais 2,5. Também pretendo fazer novamente em março, mas dessa vez prestar mais atenção na reintrodução.

  • Reply Luciana Salles 12 de janeiro de 2017 at 14:20

    Nicas, amei a iniciativa! Eu já tinha visto esse projeto e me animei pra fazer mas não literalmente. Ano passado fui morar sozinha e com isso um monte de besteira na alimentação, que me fizeram ter MUITA indisposição, muito sono e falta de atenção…tudo isso que você falou. Então, aproveitando o “clima” de ano novo, eu comecei desde final de dezembro, comer comida de verdade e tirar o industrializado (bem, tentar né…) mas pelo menos comer mais saudável e tentar me exercitar pelo menos 3x por semana. Fisicamente não vi resultado significativo, mas na saúde, me sinto muito melhor e mais disposta, fora que agora não subo uma escada morrendo como se tivesse corrido a São Silvestre kkkkk

    Boa sorte Nicas ♥

  • Reply Wanila goularte 14 de janeiro de 2017 at 16:09

    Já ouvi falar no Whole30 mas ainda não sabia exatamente como funcionava, achei sensacional! Acabei de emagrecer 7kg com academia/termogênico/reeducação alimentar e estou tentando levar uma vida bem mais saudável, então acho que vou tentar! :)

  • Reply Carol Daixum 15 de janeiro de 2017 at 16:58

    A minha irmã fez e o resultado foi muito bom. ♥ Acho que toda tentativa que possa ajudar em uma vida melhor, é válida. Mas sabendo que para cada um, o resultado pode ser diferente mesmo. Lendo esse post, me deu muita vontade de tentar, mas acho que vai ser difícil, principalmente por causa dos doces, mas quem sabe, né? Se eu conseguir e decidir realmente que vou fazer, te conto. :) Mas sabe o que acho importante também? Comer de forma saudável, mas não se privar 100%. Acho que esse é o meu objetivo maior. Vai em frente e conta como está sendo, sim.

    Beijos, Carol
    http://www.pequenajornalista.com

  • Reply maki 15 de janeiro de 2017 at 17:30

    sabe que eu já pensei em fazer algo assim várias vezes, mas não tinha ideia de que tinha esse nome? ahaha eu sempre comi muita coisa industrializada (principalmente chocolate) e tinha um sério problema de descontar tudo na comida (melhorei MUITO depois de um treinamento mental pesado e lindo!). hoje tenho uma relação muito melhor com a comida, mas me sinto muito inchada. vou consultar uma nutricionista antes, mas acho que vou tentar também! você chegou a conversar com um profissional? se sim, o que ele te falou?

  • Reply KARINE 16 de janeiro de 2017 at 11:31

    Adorei o post, Nicas! Essa Whole 30 é basicamente uma Paleo, né? Que a galera chama de ‘forma de alimentação’, não de dieta – que é uma vida baseada em comer ~comida de verdade e se livrar de industrializados. Eu segui isso uma vez, quando fazia Karatê + Kick e emagreci horrores (foi minha época mais saudável da vida, sdds), larguei tudo por passar uma época complicada de descontrole emocional e tenho muita vontade de voltar, mas a ideia de ter que cozinhar SEMPRE é algo que me deixa muito triste, sério. Sei que é aquilo de QUERER x COSTUME, mas enfim :~ vamos ver.

  • Reply Chell 19 de janeiro de 2017 at 11:09

    Nossa, não conhecia isso. Eu to tentando diminuir drásticamente quantidade de doce, já que sei que aos 30 nosso metabolismo cai pela metade. Até meus 30 eu tenho que conseguir rssss Pra mim é bem difícil e parece que o corpo PEDE a desgraça do açúcar.

    Eu concordo com tudo que você falou de “fitness” e tals. Uma coisa maior que isso é nossa saúde e como a gente se sente =D

    Fica firme e fica bem =D

  • Reply Paula 19 de janeiro de 2017 at 14:48

    Eu já sabia mais ou menos desse whole 30 por causa das fotos da Mari, e seu post me deu vontade de fazer, mas tenho duas questões: 1) não pode nada de chocolate? Já fico ansiosa só de saber que não vai poder! Eu prometo só comer do amargo! 2) Como vc faz para as coisas não estragarem? Eu sofro com isso, só compro legumes congelados pq tudo estraga aqui em casa! Essa é a minha maior dificuldade na cozinha, comprar comida de verdade sendo uma pessoa só (marido trabalha demais e não come em casa).

  • Reply Lorraine Faria 21 de janeiro de 2017 at 21:04

    Eu tenho tentado diminuir os industrializados e comer comida de verdade. Até achei que fosse achar mais dificil, e a real é que só é um pouco mais trabalhoso. Agora esse Whole 30, deve ser uma baita mudança de habitos :O e boa sorte no round 2!!!

  • Reply Cacá 31 de janeiro de 2017 at 12:04

    7 quilos!! Que incrível <3 <3 <3
    Achei muito legal a idéia de que não pode comer nada industrializado, deve rolar um mega desintoxicação do organismo desse tipo de coisa. Fiquei bem interessada. No momento estou de dieta e não planejo trocar, mas quando cansar dessa fiquei com vontade de fazer a whole 30 <3 acho que pra mim vai ser fácil porque tenho o costume de cozinhar em casa e quase nunca como em restaurantes (onde imagino ser mais difícil).
    Eu faço dieta Atkins e, olha, I know the feeling dos fiscais da dieta e, no início, até tinha paciência pra explicar, agora só digo É UMA DIETA BEM RESTRITIVA MESMO NEM GOSTO MUITO DE FALAR SOBRE POIS CHORO (não é restritiva e nã0 choro) hahaha. O pior é o 'PODE TAL COISA??? MEU DEUS TU NÃO COME TAL COISA? MAS É SAUDÁVEEEEEEEEEL' e eu por dentro pensando 'MORRAM TODOS.'

  • Reply Giulia 31 de janeiro de 2017 at 16:41

    Oi!
    Muito legal esse plano alimentar! Eu tenho intolerância a diversos alimentos (ovos, leite de vaca, glúten, farinha de trigo…….), e o plano alimentar para intolerâncias é bem semelhante: preciso cortar por 3 meses alimentos que contenham qualquer uma das minhas intolerâncias e reintroduzir depois, pro meu corpo estar preparado e os digerir. Mas qualquer coisa muito drástica é sempre difícil, né? E eu tb compenso muito com comida, tô triste: comida; peguei transito: comida; tô estressada, comida…Espero que você consiga refazê-lo! E não se esquece: é você que tem que estar feliz e se sentir bem com você mesma, não os outros :)

    Um beijo,
    Giulia | 1livro1filme.com.br

  • Reply Bela 2 de fevereiro de 2017 at 20:34

    Querida, sabe quando ouvimos que a grama do vizinho é melhor do que a nossa? Acho que só quando abandonei o BR eu descobri o quão ricos nos somos.
    Produtos frescos aqui na Finlândia são CARÍSSÍSSÍMOS! E se você quer comer bem, vai ter que usar mais do que o valor do aluguel pra isso.
    Hoje eu estava com uma vontade de comer goiaba.
    Quero muito acompanhar seu projeto de alimentação! Só espero não ficar desejada!
    Beijão!
    Sorteio Coleção percy Jackson e os Olimpianos | A Bela, não a Fera Youtube | Converse comigo no Twitter!

  • Reply Jess 6 de fevereiro de 2017 at 11:53

    Nossa, nunca tinha ouvido falar nisso! Achei a ideia bem interessante, nos últimos meses to me sentindo exatamente como você falou que se sentia, sem energia, cansada sempre, muito distraida e inchada também. Vou amar se você for postando o que tá comendo dessa vez! Tenho muita dificuldade em disciplinar o que posso comer e quando posso comer, acho que acompanhar você vai ser uma forcinha a mais nesse quesito :)

    Conheci seu blog hoje e to AMANDO!
    Beijos! <3

  • Leave a Reply