Quando fui pro intercâmbio em Hong Kong, meu voo chegava às 17hrs e meu check-in na faculdade era só às 7hrs do dia seguinte. Como 1) eu estava em uma sozinha em uma cidade 100% desconhecida 2) qualquer hostel ia me custar cem reais, achei que ia ser mais fácil evitar toda a logística de transporte de malas e dormir no aeroporto mesmo.

Foi nessas que eu descobri o Sleeping in Airports, um guia pra quem também tem essas idéias brilhantes. Foi com ele que eu soube que podia guardar minhas malas por 20 reais o pernoite (e não precisei dormir com um olho aberto e outro fechado), toooodas as lojas que eu teria a minha disposição, melhores pontos de wifi, melhores pontos para carregar eletrônicos e, lógico, melhores lugares para dormir (melhores lugares: qual cadeira, canto, piso).

O site já me foi útil antes de eu chegar em HK, usei as #diquinhas também na minha conexão de 4 horas em Dubai (e descobri que eu tinha direito a um jantar grátis por conta da companhia aérea).

Ele disponibiliza rankings separados para melhores (e piores) aeroportos no geral e melhores aeroportos para DORMIR. Tem também lista de hotéis próximos (caso você queira uma noite mais tranquila), horários de farmácias, se o local tem ou não chuveiros, custos e #truques, que é o que a gente mais precisa nessa vida.

APTO 401 - Dormindo em aeroportosO maravilhoso aeroporto de Hong Kong e os banquinhos roxos que me serviram de cama.

Como eu sou a própria Mônica Geller e uma boa viagem é organizada (RISOS), indico pra todo mundo. 😉

BEDA 2016