Sou uma pessoa que não liga para spoilers de GoT nas manhãs de segunda-feira (se pá ainda nas noites de domingo). Primeiro que vai tá tendo muito GoT e se eu souber antecipadamente quem morre no episódio dessa semana, segue em frente tem outras morte (o que não vai faltar aqui é morte). Segundo, porque é um conteúdo relativamente acessível: as pessoas ainda tem TV a cabo (fiquei surpresa?) e existe quase que uma corrente de compartilhamento de senhas da HBO online (fiquei emocionada?), e também tem a rede alternativa onde uma amiga me disse que onze e meia já tem legenda e as vezes rola até streaming. Terceiro: as pessoas estão comentando porque assistiram, estão embaladas na trama e envolvidas com outras pessoas que também assistiram. É tudo muito razoável.

Eu não dou chilique com spoiler.

Mas esse ano, esse ano temos Cursed Child. E temos também esse fenômeno de spoilers de um livro (peça) que nem foi lançado ainda. Num fenômeno que cavuquei profundamente durante uma profunda viagem de metrô e sentido não encontrei.

Harry Potter deixa as pessoas descaralhadas da cabeça (been there, done that), a gente sempre soube disso, mas esse fenômeno do spoiler se algo que nem completamente definido está talvez seja uma loucura inédita até pro nosso fandon que sai por aí com uniforme de Hogwarts (been there, done that).

Não é como se a gente estivesse saindo do quarto livro (campeonato tribruxo, primeira morte dolorosa, tudo mudou) pra um hiatus de anos esperando por um Ordem da Fênix que não saia NUNCA. Essa deliciosa fase em que ninguém dormia de nervoso (been there, etc…). Estamos na verdade vindo de uma fase de PAZ, guerra acabou, JKzinha nos deu respostas, nos contou o futuro e um ponto que poderia muito bem ser o final.

Mas vai lançar um livro novo.

E em vez de aguardar calmamente o lançamento, como uma visita de amigos que moram longe e não escrevem há muito tempo (que é quase o caso), a pessoa parece que está com uma varinha enfiada no cu e PRECISA ir atrás de spoiler, ela PRECISA saber o final de… sei lá que trama?

E ela não pode guardar pra ela, afinal, não é uma curiosidade legítima, ela precisa gritar pra todo mundo, porque esse é o objetivo da coisa, é ser o especial, o diferentão, o Pedro Álvares Cabral da magia, o antenadíssimo que já sabe de tudo enquanto a peça ainda está sendo finalizada e que dane-se todo mundo que vai esperar o lançamento.

Vocês conseguem ver sentido nesse comportamento? Não. Porque não tem.

JK Rowling disse “não seja o Rabicho, mas podia dizer apenas pra não ser um idiota.

Cursed Chid - Spoilers

beijos, aquele abraço, vejo vocês domingo tragam lencinhos!

 

Migas, a gente vai fazer BEDA em agosto! Quer brincar junto com a gente, vem aqui!