APTO 401 - Eu voltei!

Onde andei não deu para ficar
Porque aqui, aqui é meu lugar
Eu voltei pras coisas que eu deixei
Eu voltei
O Portão (REI, O)

Não dá pra dar errado quando começa com citação d’O Rei (talvez se eu adicionasse também uma foto do Mufasa, aí seriam dois reis). Acontece que como disse Betão: Eu voltei.

Quando fechei o Blasfêmia (melhor nome, não sei porque ninguém gostava, grande mágoa) em 2014, depois de dez-anos-e-meio no ar, cheguei a acreditar que tinha passado, sabe? Que era uma fase que tinha se encerrado, que pronto, a porta se fechou, segue o jogo. Mas o que se seguiu foram dois ano de uma morte horrível.

Eu não sei organizar a vida (e as lembranças, principalmente as lembranças), sem esse ritual maravilhosos de sentar aqui e contar o que aconteceu e como aconteceu. Sem o blog eu não tirei nenhuma foto da minha nova e maravilhosa kitnet (e vocês nem sabem que tô morando numa kitnet, olha 0 horror), não tirei foto da minha colher de sopa em formato de monstro do lago Ness, nem dos meus pratos com estampa de zebra, do meu porta escova de dentes em forma de elefante (a água escorre pela troooomba). Eu não registrei cada etapa louca dessa mudança, não registrei a chegada maravilhosa e triunfal do frigobar que me tirou da idade das cavernas, a primeira vez que eu assisti TV em uma televisão de verdade em cinco anos, quando a cortina chegou e os vizinhos finalmente pararam de me ver pelada. E eu queria poder me lembrar disso tudo, porque na época foi muito pesado e corrido e difícil e não deu pra aproveitar. Ter vocês lá teria sido ótimo. <3

O nome do blog (que podia ser Blasfêmia, mas vocês não colaboram) é uma forma de trazer para a internet essa nova fase e juntar aqui tudo o que está acontecendo: a casa, as fotos, São Paulo. Considerem esse post o meu chá de panela.

Oi, sou a Nicas e o que descobri nesses dois anos fora é: eu sou uma pessoa que tem um blog.

PS: Quem quer chegar aos 45 com o corpo da Alessandra Negrini, assina os feeds.